A realidade econômica do Paraguai é muito difícil, principalmente nesta crise que estamos enfrentando. As crianças do PEPE lidam hoje com a total falta de comida em suas casas. A preocupação, então, me levou a pedir doações para que as nossas crianças não passassem fome.

Deus, como sempre, foi fiel! Consegui levantar recursos e alimentos que foram entregues semanalmente aos nossos queridos alunos, juntamente com as tarefas escolares e materiais como lápis e borracha, que a maioria deles não tem.

Mas eu também precisava levar alimento para os meus filhos. Devido à crise, a oferta enviada pela igreja que sustentava o PEPE foi afetada, e eu não pude continuar recebendo a minha contribuição. Com um marido quase cego e uma filha doente, entrei em oração pedindo socorro ao nosso Deus.

Eu amo as crianças do PEPE e não queria abandoná-las. Amo o ministério que Deus me confiou: cuidar das crianças e levar a elas a esperança de um futuro melhor. Então tomei uma decisão. Contatei algumas pessoas e comecei a trabalhar na limpeza de várias casas pela manhã para ganhar um pouco de dinheiro e poder continuar com o PEPE à tarde.

Há momentos em que estou muito cansada, mas poder trabalhar com as minhas crianças todas as tardes renova os meus ânimos. A misericórdia de Deus me enche de alegria. Deus me deu até a graça de aprender a preparar vídeo-aulas, algo impossível para mim meses atrás. Hoje faço uma vídeo-aula por dia para ensinar as crianças cujos pais tem acesso à internet.

Não tenho tudo o que quero, mas tenho o que preciso todos os dias. Afinal, o PEPE não para, assim como as bênçãos de Deus sobre a minha vida!

Elena Suavil
Missionaria educadora do PEPE Paraguai

Edição de texto: Carmen Ligia – Coordenadora Continental PEPE América