Nesse lindo país da América Central chamado Honduras temos 121 crianças estudando no projeto PEPE. Nas unidades de Tibuca as crianças são atendidas em parceria com a ONG Visão Mundial e o Instituto Hondurenho do Café. Essas crianças são filhas de famílias cafeteiras que, sem o PEPE, estariam trabalhando na plantação e colheita do café naquela região.

Também temos outras unidades entre etnias indígenas, que não têm recursos econômicos e foram fortemente afetadas nesse tempo de pandemia. Entre esses grupos nem mesmo as nossas missionárias-educadoras possuem um celular com WhatsApp. Eles vivem em uma área tão afastada que muitas vezes precisam subir no alto de uma montanha para conseguir um sinal de telefone e poder conversar com a nossa coordenadora nacional. Há um grupo de 72 crianças que não estão recebendo nenhuma aula porque os seus pais não têm nem mesmo um simples telefone. Preocupada com essas crianças Alejandra, a nossa coordenadora nacional, conseguiu entregar um kit para cada uma delas com caderno, lápis e tarefas escolares para um mês, além de um pacote de alimentos para suas famílias.

Há cerca de um mês ficamos realmente impactados com a notícia de que Alejandra havia sido infectada com a Covid-19 e precisou ser hospitalizada, porque sabemos do seu grande ânimo e total disposição para atender as crianças dos PEPEs com muito amor. Ela ficou 5 dias internada e quando recebeu alta, precisou regressar ao hospital no mesmo dia para internar o seu esposo que também estava contaminado. Nos unimos como equipe internacional para interceder por essa família que amamos. Compartilho com vocês o que essa grande mulher de Deus escreveu:

“O maior problema que tivemos nesses últimos dois meses foi que comecei a me sentir mal e com o exame, testei positivo para Covid-19. Meu marido teve que me internar e quando saí para fazer a quarentena em casa meu marido ficou mal, apresentando um quadro mais complicado que o meu, ficou internado por 9 dias. Preocupados com os nossos dois filhos adolescentes fiquei entre a minha casa, onde tinha que fazer a quarentena, e o hospital, para acompanhar a situação do meu esposo, ao mesmo tempo em que levava os meus filhos para fazerem os exames. Graças a Deus meus filhos testaram negativo. Foi um tempo de luta, mas sei que como resposta a todas as orações hoje estamos todos em casa, restaurando a nossa saúde pouco a pouco. Quero agradecer com todo meu coração o grande apoio que recebi das minhas coordenadoras Gladys e Carmen que me chamavam todos os dias acompanhando passo a passo todo o processo, me ajudando a passar por esse vale da sombra da morte. Agradeço muito as orações de toda a equipe da rede do PEPE internacional que nunca deixaram de orar por nós. Meu coração se quebranta e as lágrimas escorrem pelo meu rosto ao escrever essas palavras porque ainda estou isolada dos meus filhos e esposo, mas Deus jamais nos deixou e me sinto totalmente fortalecida para continuar o ministério porque Deus não parou jamais de nos abençoar, e mesmo enquanto estava enferma o PEPE Hondurenho não parou porque com toda a certeza, o PEPE É DE DEUS!!!”

Continuamos em oração para que Alejandra e seu esposo tenham a saúde completamente recuperada e todas as crianças dos PEPEs recebam o alimento e as tarefas para continuar estudando, mesmo em meio a pandemia.

Carmen Lígia
Coordenadora Continental do PEPE Américas