A Junta de Missões Mundiais (JMM) da Convenção Batista Brasileira está seriamente comprometida com a proteção das crianças e adolescentes em todos os seus programas e projetos. Temos um documento orientador que contém procedimentos importantes sobre como a organização lida com as questões de violência infantil no espaço institucional. É a nossa Política de Proteção à Criança e ao Adolescente ( PPCA).

O PEPE, como um dos programas da JMM, tem como um dos eixos de seu trabalho a proteção à criança contra qualquer forma de violência. Em nossa experiência e atuação com igrejas e crianças em situação de vulnerabilidade e risco social em diversas comunidades, nos sentimos comprometidos em promover a sensibilização e instrumentalização das igrejas locais em relação à proteção infantil.

As ações que realizamos para com e pelas crianças são consequência de como as vemos: se como pessoas, como sujeitos de direitos ou meramente como objetos. Proporcionar um lugar seguro para meninos e meninas está intimamente relacionado à concepção que temos a respeito delas.

Como seguidores de Jesus, defendemos os princípios de valorização e respeito à criança, em meio a uma sociedade que muitas vezes não compartilha desta visão. Jesus vê as crianças como pessoas dignas de um lugar especial na comunidade do povo de Deus. Por isto, proporcionar espaços e ambientes seguros também é responsabilidade da igreja.

São alarmantes os casos em que crianças e adolescentes se encontram vulneráveis e expostos a todo tipo de violência em todos os lugares. Reconhecemos que, infelizmente, há riscos de uma criança ser vítima de violência no ambiente de uma igreja. Muitas vezes, os líderes e responsáveis não sabem como agir, nem o que fazer. Não há protocolos claros sobre o caminho a seguir e quais pessoas e instituições devem ser acessadas. Não podemos esperar até acontecer um episódio de violência contra crianças para então agir, tentando remediar uma situação que causará muitos danos. A prevenção é o melhor caminho.

Para responder a essa necessidade, elaboramos esta cartilha para compartilhar com as igrejas/instituições os passos e principais ações para a construção de uma Política de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), como uma das ferramentas básicas de prevenção de violência no espaço institucional. Nossa referência é o kit Um Lugar Seguro, produzido em português pela rede Mãos Dadas, em 2011.

Com base no material de referência, a política de proteção à criança é um documento que contém diretrizes e ações que estabelecem como as crianças devem ser protegidas e auxilia na criação de um ambiente seguro e sadio, minimizando assim os riscos que podem ocorrer em seus espaços.
Esperamos que este seja mais um instrumento útil que contribua para a proteção de muitas crianças no Brasil e em todo o mundo.

Terezinha Candieiro
Coordenação geral do PEPE Internacional
Junta de Missões Mundiais da CBB