A população de Beira, do Dondo e de Buzi, beneficia-se da segunda campanha de vacinação contra cólera.

Após a passagem do Ciclone Tropical IDA pelo centro de Moçambique, as cidades de Beira, Dondo e Buzi, ficaram seriamente devastadas, tendo muitas famílias perdido suas casas, pertences e muitos de seus entes queridos. Além disso, a população foi seriamente afetada por uma epidemia de cólera. Em virtude desta situação em 03 de Abril, na cidade de Beira, ocorreu a primeira campanha de vacinação contra o cólera, cujo lançamento oficial ocorreu no Centro de Acomodação do IFAPA, local que alberga cerca de 3.500 pessoas. Com o lançamento da campanha foram criadas brigadas que funcionavam dentro das comunidades para garantir que todos fossem beneficiados. Esta foi a primeira fase da campanha, onde aqueles que já estavam infectados receberam cuidados médicos nos centros de atendimento a pacientes com cólera.

No dia 15 de Julho foi lançada a segunda campanha de Vacinação, onde mais 900.000 doses de vacina contra o cólera foram disponibilizadas, para beneficiar não somente a população de Beira, Dondo e Buzi como também a população de Cabo Delgado. Dentro desta segunda Campanha de Vacinação, equipes de saúde foram preparadas e separadas em brigadas para auxiliar nos centros de atendimentos dentro da cidade de Beira e dos demais locais acima mencionados. Cinco de nossas unidades de PEPE foram escolhidas para receber algumas das brigadas formadas pelo ministério de saúde para beneficiar as crianças assim como as comunidades onde estão inseridas. O PEPE tem sido uma parceria de grande valia não só para o ministério de saúde como para a comunidade na qual se encontra, visto que é um local de referência sempre que há campanhas de vacinação contra qualquer tipo de epidemia na região. Esta área de Beira conta com mais de 1.350 crianças atendidas pelo programa PEPE, tendo sido todas beneficiadas pela segunda dose de vacina contra cólera.

Nesta campanha, segundo a fonte, o ministério de saúde espera ter vacinado todos os indivíduos que tomaram a primeira dose da vacina, garantindo assim a necessária imunização contra a doença por um período de cinco anos.

David Panganhe
Coordenador Regional do PEPE África Austral