PEPE e os novos desafios na Guiné Equarorial
Terezinha Candieiro - 03 April 2012

"Pois o seu poder alcançará os lugares mais distantes do mundo. E ele trará a paz”. Miquéias 5.4b e 5

No mês de Fevereiro tive o privilégio de visitar, juntamente com os pastores Mayrinkellinson Wanderley e Rui Oliveira, coordenadores de área da Junta de Missões Mundiais, a Guiné Equatorial.

A Guiné Equatorial é um pequeno país na África Central com grandes desafios em todas as áreas. Embora com diversas línguas e dialetos, é o único país da África cuja língua oficial é o espanhol, e em breve será também o português.

Nos poucos dias que ali estivemos pudemos ver e ouvir sobre a realidade e algumas necessidades das pessoas. Apesar de ser um país cuja sua maioria se declara cristã, há um sincretismo religioso muito forte. O clamor pelo Deus vivo e verdadeiro é grande. Somente na região onde as missionarias trabalham há mais de 20 centros de bruxaria com muitas pessoas aprisionados à esta prática. As necessidades na área da educação são muitas, pois, devido à pobreza, pouquíssimas crianças têm acesso à uma educação de qualidade. Na área da saúde, a falta de postos médicos e medicamentos suficientes são alarmantes. A malária e a Aids tem ceifado muitas vidas.

O que fazer diante desta realidade? As missionárias - Maria Lucinalva e Nely Soares - que ali servem se sentiram movidas a desafiarem as igrejas brasileiras para o cumprimento da missão integral entre aqueles povos tão necessitados. Com ofertas enviadas pelas igrejas brasileiras, elas conseguiram comprar um terreno amplo, e atualmente estão trabalhando para a construção do templo e a projeção das salas do PEPE para o atendimento das crianças na fase pré-escolar, como também a construção do PSF – Posto de Saúde da Família para o atendimento das famílias da comunidade.

Nos dias que ali estivemos, tivemos a oportunidade de pregar em algumas igrejas e participar de uma conferência para a liderança evangélica. O tema principal foi santidade. Os pastores Mayrinkellison e Ruy foram os preletores do tema e eu fiz a apresentação do PEPE como uma das maneiras das igrejas servirem e estarem inseridas de forma viva e ativa nas suas comunidades.

Na apresentação do PEPE recebemos publicamente o apoio da coordenadora da educação pré-escolar da região. Nesta oportunidade oferecemos o livro do PEPE e recebemos de presente o livro da UNICEF que é utilizado em alguns lugares. Através do PEPE levamos esperança de Jesus à criança, sua família e sua comunidade, e promovemos o desenvolvimento comunitário.

Segundo o que ouvimos das próprias autoridades, a educação das crianças nos seus lares tem sido feita com muito descaso, sem limites, e sem princípios cristãos verdadeiros. Muitos líderes se sentiram desafiados e expressaram o desejo de se envolver na implantação do PEPE em suas comunidades, a fim de ajudarem na reconstrução dos lares e facilitarem o desenvolvimento integral das crianças e suas famílias.

Louvo a Deus por mais esta oportunidade e por mais este novo campo em que iniciamos o processo de implantação do Programa. Há grande necessidade de intercessão e orações por este trabalho, pois a batalha espiritual é grande. Porém, cremos que maior é nosso Deus que deseja estender Seu Reino. Que todos conheçam a Jesus como Senhor e Salvador.

A Guiné Equatorial também precisa de Cristo, a Paz que liberta!